domingo, 21 de dezembro de 2014

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Fragmentos de um Brasil na Segunda Guerra Mundial

Um blog serve para muitas coisas, entre elas reunir e compartilhar informações entre pessoas com interesses comuns.

Enquanto a História é um tema interessante porque fala da nossa cultura, da nossa evolução como povo e civilização, por outro lado é negligenciada seja propositalmente seja casualmente. Testes vestibularescos abordam a história pelo prisma da complexidade pois seu propósito não é educativo: é eliminatório. Disso acaba padecendo o sistema escolar que, para adaptar os alunos à realidade, submete-se a desde cedo promover avaliações de caráter excludente ao invés de promover a inclusão, informação e formação.

Durante a segunda guerra mundial navios brasileiros foram atacados por submarinos alemães. O prisma Histórico nos leva a considerar várias abordagens e possibilidades para os fatos históricos, essas análises e interpretações estão submetidas aos interesses do falante. Esta postagem porquanto pode parecer irrelevante ou fora de contexto está neste blog principalmente porque um blog é também um "diário" um registro de coisas. E recentemente fui trazido ao tema da segunda guerra mundial por conta de meu trabalho com ilustração e quadrinhos.

Tomei a liberdade de deixar aqui para futuras referencias material de outros blogs que achei pertinentes à minha pesquisa. Blogs e sites vivem saindo do ar, então copiei as partes que me eram relevantes para cá. Os links das publicações originais estão abaixo desta postagem e algumas das imagens também contem créditos.







U-507: O SUBMARINO QUE AFUNDOU O BRASIL NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL isbn: 9788570114938
 SINOPSE
Entre os dias 15 e 17 de agosto de 1942, o submarino alemão U-507(sob o comando do Oficial Capitão Harro Schacht) torpedeou cinco navios brasileiros na costa nordestina, entre Sergipe e Bahia. O Brasil, que até então se declarava neutro, mas sem constrangimento colaborava com o esforço de guerra norte-americano, de repente viu-se obrigado a abandonar a sua cômoda posição de país não-beligerante. Diante da revolta da população, que saiu às ruas em protesto, depredando estabelecimentos comerciais pertencentes a imigrantes alemães, italianos e japoneses, o presidente Getúlio Vargas declarou guerra ao Eixo poucos dias depois.

A partir de entrevistas com sobreviventes e de uma extensa pesquisa bibliográficas realizadas ao longo de três anos, o livro reconstrói aqueles dias sangrentos, mostrando o drama dos mais de 600 brasileiros mortos nos afundamentos dos mercantes Baependy, Araraquara, Aníbal Benévolo, Itagiba e Arará. Náufragos devorados por tubarões, sobreviventes vagando por mais de dois dias sem água ou comida e a menininha que sobreviveu ao afundamento do Itagiba boiando por horas dentro de uma caixa de madeira vazia. Todas essas histórias são contadas em detalhes em U-507: O Submarino que afundou o Brasil na Segunda Guerra, o relato mais completo já publicado sobre esta importante página da história brasileira, repleta de dor, sofrimento, indignação e, sobretudo, heroísmo.



Aqui os links originais para as matérias citadas e preproduzidas nesta postagem:
https://chicomiranda.wordpress.com/2012/03/14/os-navios-brasileiros-torpedeados/
http://tokdehistoria.com.br/2013/11/23/1942-o-protesto-dos-estudantes-natalenses-contra-o-nazismo/
http://noticias.terra.com.br/brasil/pearl-harbor-brasileiro-determinou-entrada-na-2-guerra-ha-70-anos,0b41dc840f0da310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html

U-50
7 O Navio que afundou o Brasil, na Segunda Guerra Mundial
http://www.defesanet.com.br/ecos/noticia/18926/Operacao-Brasil---U-507-o-Lobo-Solitario-ataca/http://www.defesanet.com.br/ecos/noticia/18926/Operacao-Brasil---U-507-o-Lobo-Solitario-ataca/