terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Jerônimo, O Herói do Sertão


Após estrear uma novela raiofônica em início dos anos 50, o personagem ganhou vida nos gibis, em eventos de caridade e shows e em telenovelas.

O personagem, criado pelo produtor Moisés Weltman, foi novela em 72 pela Tupi e depois pelo SBT já em 1984. Nas duas versões televisivas o herói foi vivido por Francisco di Franco. Ator de prestígio, trabalhou em várias produções do cinema nacional com destaque para "O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão", 1977.
Além da versão formato americano/PB publicada pela Rio Gráfica Editora, o quadrinho teve uma versão formatinho em cores pela Bloch cujo número 01 vc pode fazer o download aqui.




Se vc tem curiosidade pra ver como era a TV na época do Jerônimo, do tubo catódico, dos transformadores e das classificações de censura antes de cada programa, o link é esse: TV a Lenha

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Contando Histórias


Contar histórias é uma atividade ancestral do homem, que narrava fatos antes mesmo de possuir o domínio da palavra. Com o advento desta, a transmissão de informação e conhecimento ganhou força.

Os quadrinhos são fruto do casamento entre texto e imagem e a produção de histórias para esta mídia ganha forma física nesta peça técnica que chamamos de roteiro. Existem diversas maneiras, estruturas e formas de roteiro para quadrinhos, mas sua função básica é deixar o desenhista ciente de quais imagens evocar para o leitor através do seu traço.

Clareza, Lucidez e organização são elementos que ajudam bastante no processo de elaboração de uma história. Independente do tema ou do gênero uma história tem que ser compreensível, isto é o mínimo que se pode pedir de qualquer narrativa, seja quadrinizada, animada, interpretada e por aí vai. Histórias incompreensíveis não merecem a energia gasta no processo de contá-la. E já que o assunto é roteiro abaixo segue um manual para download. Sugiro que vc baixe logo, pois imagino que será apagado em alguns dias.

Guia de Roteiro - DOWLOAD

E como quadrinhos são apenas uma das possíveis maneiras de materializar uma história, acho que vale uma visita ao: Do Conto ao Encanto

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010